Nosso propósito


"A função essencial da inteligência humana é o discernimento entre o Real e o ilusório, ou entre o Permanente e o impermanente; e a função essencial da vontade é ligar-se ao Permanente ou ao Real. Esse discernimento e essa ligação são a quintessência de toda espiritualidade. Levados ao seu mais alto nível, ou reduzidos à sua mais pura substância, eles constituem, em todo grande patrimônio espiritual da humanidade, a universalidade subjacente, ou aquilo a que se pode chamar religio perennis ."

Com estas palavras, Frithjof Schuon não só explica o que é a religio perennis, mas o que é o homem. Elas resumem toda a obra perenialista ou tradicionalista.

Neste site, pretendemos apresentar ao leitor um pouco das idéias da Escola Perenialista. Poderíamos dizer também: um pouco da Verdade, pois o que os autores que convencionou-se chamar perenialistas ou tradicionalistas estão a fazer é simplesmente procurar expor a verdade pura, incondicional, sem limites formais, sem apego a uma denominação ou confissão particular.

Os dois principais autores da Escola Perenialista são René Guénon e Frithjof Schuon. Cada um teve um continuador: Ananda Coomaraswamy e Titus Burckhardt, respectivamente. À parte esses autores principais, há muitos outros, entre os quais destacou-se Martin Lings e, neste começo do século XXI, William Stoddart.